terça-feira, 24 de agosto de 2010

Educação Física na EJA

Na EJA, é responsabilidade do professor ajudar cada estudante a perceber o próprio corpo físico e a complexidade de seus movimentos

Bianca Bibiano (bianca.bibiano@abril.com.br)

Aulas de Educação Física para turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJA) são obrigatórias e importantes? A resposta para a pergunta é sim, embora muita gente ache desnecessário trabalhar as questões corporais quando a preocupação maior deveria ser aprender a ler, escrever e fazer contas. A presença da disciplina na grade curricular é prevista desde 2001 na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), e facultativa para estudantes que trabalham, têm filhos ou são maiores de 30 anos, e oferecida em algumas escolas fora do horário regular - fatores que contribuem para marginalizar o estudo das práticas corporais. "O físico adulto não é imutável ou um amontoado de partes. Está em constante movimento e forma um sistema integrado com o ambiente e a cultura, tal como o infantil. Não há motivo para deixar de estudá-lo e explorá-lo na EJA também", afirma Marcos Neira, professor da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP). Para planejar as aulas, inclusive as teóricas (que têm prioridade na EJA), é fundamental levar esses pontos em consideração. "Além de ajudar o aluno a se ver como sujeito histórico, é preciso dar meios para ele perceber a diferença entre esforço e movimento, por exemplo. São questões a ser discutidas antes das técnicas específicas, como ensaiar o drible no futebol", explica Lorita Maria Weschenfelder, professora do curso de Educação Física da Universidade de Passo Fundo (UPF). Fica claro que a disciplina não pode se resumir à recreação ou a reflexões simplistas sobre a qualidade de vida. O professor tem de atuar de maneira intencional, fornecendo subsídios para que os estudantes ressignifiquem o que já conhecem sobre as práticas corporais e desenvolvam novos entendimentos sobre o corpo humano.

Para ler mais entre no site da Nova Escola

http://revistaescola.abril.com.br/educacao-fisica/pratica-pedagogica/educacao-fisica-eja-praticas-corporais-atividades-567805.shtml

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Justiça Federal decide: não é necessário exigir registro no CREF para professores
Escrito por Caroline Santos
Sex, 06 de Agosto de 2010 09:42

A Justiça Federal concedeu, na última terça-feira, liminar ao SINTESE na ação em que o sindicato impetrou solicitando que não fosse obrigatória a exigência do registro no Conselho Regional de Educação Física dos estados de Sergipe e BA(CREF-SE/BA) para os professores da Educação Básica da rede pública de Sergipe.

No texto da decisão o juiz substituto Rafael Soares Souza diz que ao examinar a lei 9.696/98 que regulamentou a profissão de Educação Física e cria os respectivos conselhos de classe “não concluo pela obrigatoriedade dos profissionais do magistério público em efetuarem registro nos Conselhos Regionais de Educação Física, até mesmo em razão de tais profissionais terem alterada sua categoria profissional para servidor público, estatuídos por legislação específica, o que os afasta de qualquer vínculo com o conselho de classe. Assim em se tratando de servidores estatutários, os professores de Educação Física não precisam estar inscritos no mencionado conselho para desempenharem suas atividades na entidade pública a que pertencem, visto que se submetem a legislação específica”

Sem base legal O SINTESE compreende que o Conselho Regional de Educação Física não tem base legal para exigir registro dos professores da Educação Básica da rede pública e muito menos para fiscalizar o trabalho exercido por eles. “Tudo o que compreende a Educação tem legislação própria (LDB) e fiscalizadores próprios. A União, em colaboração com Estados e municípios, não delegou a ninguém a fiscalização dos sistemas educacionais”, disse Franklin Ribeiro, da assessoria jurídica do SINTESE.
Fabricio Macêdo ExNEEF R3 - CID (85) 86746859//32323574

sábado, 7 de agosto de 2010

Vamos ficar atentos com o Tempo!!

Meteorologia prevê chuvas intensas para o mês de agosto

Publicado em 06.08.2010, às 23h09 Do Jornal do Commercio

Chuvas de agosto devem atingir média história do período, de aproximadamente 205 milímetros
Chuvas de agosto devem atingir média história do período, de aproximadamente 205 milímetros
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Os moradores do Grande Recife e da Zona da Mata de Pernambuco podem esperar muita chuva, ventos fortes, picos de maré e temperaturas mais baixas durante todo o mês de agosto. A previsão é do Instituto de Meteorologia (Inmet), que prevê precipitações do período em torno da média histórica, aproximadamente 205 milímetros de chuva, o que corresponde a 205 litros de chuva por metro quadrado. No Agreste e no Sertão, as precipitações começam a diminuir, mas as temperaturas continuam baixas. Em Petrolina, no Sertão, a expectativa é que chova apenas 3 milímetros este mês. Por enquanto, a principal preocupação deve ser com o litoral. O mês de agosto costuma ter picos de maré alta, que, este ano, deve chegar a 2,5 metros nas próximas quarta e quinta-feiras. A maré alta dificulta o escoamento da água das chuvas, que terminam inundando a cidade. Segundo a Coordenadoria de Defesa Civil do Recife (Codecir), a limpeza foi feita, mas, se chover, deve haver pontos de alagamento. A expectativa do Inmet é que a chuva diminua a partir da primeira quinzena de setembro.

Vamos ficar atentos para não perdemos aulas.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Curso de Arbitragem pela Confederação Brasileira de Badminton

Nos dias 25, 26 e 27 de Agosto, na ESEF estará acontecendo o curso de formação de arbitros nacionais, pela CBBd, valores R$ 30,00 para estudante de educação física e R$ 150,00 para outros. Inscrição com os diretores do GDBad (Grupo Desenvolvimento de Badminton).

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Não Esqueça!!!

Nos link abaixo estão dois documentos bastantes importantes para os acadêmicos da ESEF, um é o regulamente da carga horaria de atividades complementares e sobre o Trabalho de conclusão de curso. Boa Leitura. (Idéia de Matéria - Aluno Jerônimo Correia) www.4shared.com/file/0A1TYSAh/TCC2CARGAHORARIA.html