quinta-feira, 28 de outubro de 2010

7 Bienal de Arte e Cultura da UNE

Cidade da Copa de 2014 e Olimpíadas de 2016 recebe mais de 10 mil estudantes do Brasil e da América Latina entre os dias 18 e 23 de janeiro de 2011; jovens de todas as regiões já organizam caravanas rumo à cidade maravilhosa, saiba como participar e inscrever trabalhos

O maior e mais aguardado festival estudantil da América Latina já tem data, tema e local definidos. Dando início à série de grandes eventos que a cidade do Rio de Janeiro sediará nesta década – incluindo a Copa 2014 e as Olimpíadas de 2016 - a 7ª Bienal da UNE acontecerá entre os dias 18 a 23 de janeiro de 2011. Os seis dias de evento terão atividades culturais, científicas e esportivas espalhadas por diversos espaços da capital carioca. A principal parte da programação estará concentrada no Aterro do Flamengo, imenso complexo de lazer com projeto paisagístico de Burle Marx, e na Lapa, reduto histórico da boêmia cultural e festiva, marca característica do Rio.

São esperadas mais de 10 mil pessoas para o evento, que na sua sétima edição homenageia o samba com o tema “Brasil no estandarte, o samba é meu combate”. Segundo o presidente da UNE, Augusto Chagas, a Bienal será, como sempre, ampla e plural: “É o espaço para o encontro de todas as juventudes em suas mais diversas expressões, um evento com potencialidade de divulgar as produções artísticas e culturais dos estudantes de todas as regiões do Brasil. É, também, o momento da UNE dialogar com outras manifestações, como a ciência, a tecnologia, e o esporte, que terá papel destacado desta vez”, declara.

“Brasil no estandarte, o samba é meu combate” Ao longo de 11 anos, as bienais já pautaram a herança africana na cultura do país, os vínculos do Brasil com a América Latina, a cultura popular e as raízes de formação do povo brasileiro. A 7ª Bienal representa um amadurecido trajeto em busca dessa compreensão. Nessa edição, a União Nacional dos Estudantes privilegia o samba como elemento icônico da brasilidade, buscando, para além da sua história musical, entender como se apresenta nas dimensões sociais, críticas e estéticas da nação.

Segundo o diretor de Cultura da UNE e coordenador-geral da 7ª Bienal, Fellipe Redó, o festival apresentará um olhar sobre o samba que ultrapassa sua imagem puramente festiva ou carnavalesca. “Nos inspiramos no gênero musical tido como uma marca de trocas sociais, uma possibilidade autêntica de valorização da brasilidade, o estilo de vida, os lugares e os personagens que fazem do samba o seu relato mais íntimo do dia-a-dia e a sua manifestação maior de combate. Muito mais do que música, samba é o jeito de viver, gingar, pensar e decidir”, reflete.

>> Leia aqui a íntegra do manifesto da 7ª Bienal da UNE

CUCA da UNE celebra 10 anos A 7ª Bienal celebra também os 10 anos do Circuito Universitário de Cultura e Arte, o CUCA da UNE, uma das mais instigadoras experiências do movimento estudantil que foi inovadora no conceito de formação de uma rede interligada de Pontos de Cultura país afora. O CUCA, criado a partir da 2ª Bienal, em 2001, no Rio de Janeiro, retorna à cidade para comemorar uma década de valorização da produção cultural nacional no interior das universidades, reunir “cuqueiros” de todo o Brasil e propor novas frentes de ações para o próximo período.

>> Saiba mais e conheça aqui o CUCA da UNE

13º CONEB da UNE Como atividade integrada a 7ª Bienal ocorrerá, entre os dias 14 a 17 de janeiro, no Riocentro, o maior centro de convenções da America Latina, o 13º Conselho Nacional de Entidades de Base da UNE. O CONEB é um dos mais importantes fóruns de deliberação do movimento estudantil e reunirá as principais lideranças dos Diretórios e Centros Acadêmicos de todo o Brasil. O tema em debate “A universidade necessária” vai envolver cerca de 3 mil estudantes em mesas e grupos de discussão para refletir sobre o sentido da universidade nos tempos atuais e a projeção de um novo Brasil a partir da educação.

>> Baixe aqui a Ata e o Regimento do 13º CONEB da UNE e saiba mais informações

Como inscrever o seu trabalho na 7ª Bienal A partir de um qualificado rol de convidados e mesas-redondas, grandes atrações culturais, assim como da transversalidade de linguagens como música, cinema, teatro, arte digital, literatura e artes visuais, a 7ª Bienal da UNE se consolida como o principal instrumento para o mapeamento e difusão da cultura produzida por estudantes de todo o Brasil.

Para inscrever o seu trabalho na áreas de Artes Integradas, Música, Artes Cênicas, Artes Visuais, Audiovisual, Literatura, C&T, Mostra CUCA e Atividades Autogestionadas basta ler o regulamento da 7ª Bienal e fazer o cadastro nos links abaixo. As propostas podem ser enviadas até o dia 30/11/2010. O resultado dos selecionados será divulgado no portal www.une.org.br.

Pelo Twitter @bienaldaune, os seguidores poderão acompanhar outras informações. Em breve será lançado também o hotsite da Bienal. Dúvidas poderão ser esclarecidas pelo e-mail bienal@une.org.br.

>> Leia aqui o regulamento das Mostras Artísticas e Científica da 7ª Bienal da UNE

Faça a inscrição de seu trabalho. Preencha a ficha abaixo de acordo com a área de seu interesse:

>> Artes Integradas

>> Música

>> Artes Cênicas >> Audiovisual >> Artes Visuais

>> Literatura >> C&T >> Mostra CUCA

>> Atividades Autogestionadas

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Estudantes de Pernambuco estão com Dilma Rousseff

Na sexta-feira (22), o movimento estudantil pernambucano, representado pela UEP e a UMES, decidiu indicar voto na candidata petista no segundo turno das eleições presidenciais

Na sexta-feira (22), o movimento estudantil pernambucano, representado pela União dos Estudantes de Pernambuco (UEP) e a União Municipal dos Estudantes Secundaristas (UMES), decidiu indicar voto na candidata Dilma Rousseff (PT) no segundo turno das eleições presidenciais.

A decisão foi tomada em assembléia, realizada na Rua do Lazer, próxima à Unicap,Universidade Católica de Pernambuco, na capital Recife, local de históricas mobilizações estudantis.

O evento mostrou a ousadia dos estudantes, que neste segundo turno ficaram do lado de um projeto que trará avanços e mudanças. Foi por isso que assembleia estudantil em Pernambuco decidiu indicar voto em Dilma, reafirmando a posição da UNE , declarou o diretor Jurídico da entidade, Luis Felipe Maciel. Ele estava presente no evento que movimentou a capital, Recife. Além de integrantes da UNE, também na mobilização estavam estudantes da UBES.

"Na quarta-feira (20), estávamos com o presidente Lula debatendo sobre o Fies (financiamento estudantil). Durante muitos anos, isso nunca aconteceu. Por isso, apoiamos a candidatura de Dilma para presidente. Queremos dar continuidade a esse governo , afirmou o presidente da UBES, Yann Evanovick.

No primeiro turno, seguindo o exemplo da União Nacional dos Estudantes, as entidades estudantis pernambucanas permaneceram neutras, contribuindo para o debate eleitoral com sua plataforma política. Neste segundo turno, entretanto, a polarização de projetos nas candidaturas é mais berrante, o que exige das entidades uma posição sobre elas , afirmou Virgínia Barros, presidente da UEP.

Ato e caminhada Todos seguiram para um ato com a presença do governador reeleito Eduardo Campos (PSB).Para o senador eleito Humberto Costa, também no ato, a entidade estudantil é um segmento importante para a campanha petista. Estou muito feliz em poder participar desse evento e ver tantos jovens nas ruas lutando por um ideal . Compareceram ainda os deputados federais Ana Arraes e Paulo Rubem, e os deputados estaduais Tereza Leitão e Luciano Siqueira.

Da redação, com UEP e agências

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

UEP E UMES CONVOCAM ASSEMBLEIA GERAL DOS ESTUDANTES

Na esteira das discussões eleitorais, a União dos Estudantes de Pernambuco (UEP) e a União Metropolitana dos Estudantes Secundaristas (UMES) convocam todos os estudantes do estado para uma assembleia geral, nesta sexta-feira (22), que discutirá a posição da entidade neste segundo turno. A grande plenária acontecerá na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), na Rua do Lazer, e contará com a presença de lideranças estudantis e de movimentos sociais.“Escolhemos a Rua do Lazer visto que foi lá que os estudantes pernambucanos iniciaram o movimento das Diretas Já, bem como a mobilização pelo Fora Collor. Agora, este local será novamente palco de um grande momento do movimento estudantil do nosso estado”, explica Virgínia Barros, presidente da UEP. No primeiro turno, seguindo o exemplo da União Nacional dos Estudantes, as entidades estudantis pernambucanas permaneceram neutras, contribuindo para o debate eleitoral com sua plataforma política. “Neste segundo turno, entretanto, a polarização de projetos nas candidaturas é mais berrante, o que exige das entidades uma posição sobre elas”, conclui Virgínia. A assembleia geral dos estudantes de Pernambuco acontece nesta sexta-feira (22), na Rua do Lazer da Unicap, a partir das 13h.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Texto de Estudante

Desculpem meus amigos,mas vou votar no Serra. Cansei de ir ao supermercado e encontrá-lo cheio. O alimento está barato demais. O salário dos pobres aumentou, e qualquer um agora se mete a comprar, carne, queijo, presunto, hambúrguer e iogurte. Cansei dessa história de PROUNI, que botou esses tipinhos, sem berço, na universidade. Até índio, agora, vira médico e advogado. É um desrespeito... Meus filhos, que foram bem criados, precisam conviver e competir com essa raça. Cansei dos bares e restaurantes lotados nos fins de semana. Se sobra algum, a gentalha toda vai para a noite. Cansei dessa demagogia. Cansei de ir em Shopping e ver a pobreza comprando e desfilando com seus celulares. Cansei dos estacionamentos sem vaga. Com essa coisa de juro baixo, todo mundo tem carro, até a minha empregada. "É uma vergonha!", como dizia o Boris Casoy. Com o Serra os congestionamentos vão acabar, porque como em S.Paulo, vai instalar postos de pedágio nas estradas brasileiras a cada 35 km e cobrar caro. Desculpem mas Voto no Serra.... O governo reduziu os impostos para os computadores. A Internet virou coisa de qualquer um. Pode? Até o filho da manicure, pedreiro, catador de papel, agora navega, tem Orkut...Vergonha, vergonha, vergonha...

Cansei dessa história de facilitar a construção e a compra da casa própria (73% da população, hoje, tem casa própria, segundo pesquisas recentes do IBGE). E os coitados que vivem de cobrar aluguéis? O que será deles? Cansei dessa palhaçada da desvalorização do dólar. Agora, qualquer um tem MP3, celular e câmera digital. Qualquer umazinha, aqui do prédio, vai passar férias no Exterior. É o fim... Também cansei dessa coisa de biodiesel, petroleo do pré-sal, de agricultura familiar. O caseiro do meu sítio agora virou "empreendedor" no Nordeste. Pode? Cansei dessa coisa assistencialista de Bolsa Família. Esse dinheiro poderia ser utilizado para abater a dívida dos empresários de comunicação (Globo, SBT, Band, RedeTV, CNT, Folha, Estadão, etc.). A coitada da "Veja" passando dificuldade e esse governo alimentando gabiru em Pernambuco. É o fim do mundo. Vou votar no Serra. Cansei, vou votar no Serra, porque quero de volta as emoções fortes do governo de FHC, quero investir no dólar em disparada e aproveitar a inflação. Basta! Vou votar no Serra. Quero ver essa gentalha no lugar que lhe é devido. Quero minha felicidade de volta.

Ainda há tempo de mudar!!! Esequias Pierre de Lima Filho (81) 8755-4440/ 9917-3959 MSN: esequiaspierre@hotmail.com Twitter: http://twitter.com/EsequiasPierre
UNE e UBES indicam voto em: Dilma Rousseff

As entidades estudantis afirmam indicam voto à Dilma por acreditarem que é a oportunidade de aprofundar avanços obtidos nos últimos anos

Diante do processo eleitoral em curso no país, a União Nacional dos Estudantes (UNE) convocou sua diretoria plena para reunião realizada em São Paulo no fim de semana dos dias 9 e 10 de outubro. Uma das polêmicas que os estudantes debateram foi o posicionamento da entidade no 2° turno das eleições presidenciais de 2010. Durante os dois dias de reunião na sede da Apeoesp e no Hotel Linson, com a presença de mais de 200 estudantes, fortaleceu-se a opinião para que a UNE declarasse apoio a uma das candidaturas que estão colocadas. No domingo, dia 10, os mais de 80 diretores da entidade com direito a voto referendaram uma decisão. A UNE aprovou um indicativo de voto para a candidata Dilma Rousseff. Leia abaixo entrevista do presidente da UNE, Augusto Chagas:

Por que a UNE decidiu se posicionar no segundo turno das eleições? No primeiro turno apresentamos o projeto UNE pelo Brasil, com a plataforma de reivindicações do movimento estudantil brasileiro aos candidatos. Se naquele momento havia várias pessoas com ideias interessantes para o país, como Marina, Dilma e Plínio, neste momento temos uma divisão muito clara. Neste momento não há duvida: o rumo é de avanço ou retrocesso. A UNE decidiu se manifestar porque a característica principal do movimento estudantil no Brasil é sua disposição de exercer protagonismo nos principais debates e decisões nacionais. Qual a diferença fundamental entre a candidatura de Dilma e de Serra? A candidatura de José Serra é a defesa do mesmo projeto dos oito anos de FHC. É uma proposta neoliberal e sabemos que o neoliberalismo foi um verdadeiro desastre para o Brasil. Serra foi um dos principais nomes daquele governo e daquele pensamento. Dilma está do lado do governo que mais criou universidades, vagas e oportunidades para os jovens brasileiros, o governo Lula. Ela representa as 14 universidades federais criadas nestes últimos anos, as mais de 60 extensões universitárias e a duplicação de vagas através do REUNI. Serra representa a visão de Brasil pequeno que não criou nenhuma durante aqueles oito anos. Dilma defende o projeto que criou mais de 700 mil vagas no ensino superior com o PROUNI, enquanto Serra está atrelado a um dos governos mais trágicos para a educação na historia do Brasil. Dilma representa os 15 milhões de empregos criados por Lula, e Serra a estagnação e a submissão dos anos FHC.

Como a UNE dará publicidade à sua opinião? Será lançada alguma campanha? Daremos toda a publicidade. Lançaremos ainda esta semana uma campanha nacional dando visibilidade a nossa opinião e, principalmente, vamos acionar a militância estudantil em todo o país. Os estudantes devem mais uma vez dar sua contribuição na convicção de que nossas idéias e mobilização contribuem na busca de um Brasil mais justo e desenvolvido. Este e o nosso compromisso maior!

UBES também indica voto em Dilma

A União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) também aprovou em reunião de sua diretoria realizada no último fim de semana (9 e 10/10), na sede da entidade, o indicativo de voto na candidata Dilma Rousseff. Abaixo leia entrevista do presidente da UBES, Yann Evanovick: Por que a UBES decidiu se posicionar no segundo turno das eleições presidenciais? Diferentemente do primeiro turno, em que a UBES optou pela neutralidade em respeito à sua pluralidade, a entidade, através da reunião de nossa diretoria, resolveu, por unanimidade, apoiar a candidata Dilma Rousseff. O país tem avançado e ajudado, também, pelas mobilizações dos movimentos sociais. No momento, declarar apoio à Dilma é apostar na continuação do avanço no Brasil em todos os setores. Qual a diferença fundamental entre a candidatura de Dilma e de Serra? Com a candidata Dilma Rousseff à frente do nosso país, assim como no atual governo de Lula, o movimento social terá plena certeza que teremos portas abertas para mostrar as nossas reivindicações. Já com o Serra, isso não será bem assim. Exemplo são os professores que nos últimos anos foram tratados na base do cassetete, bem como no governo FHC. Isso sem contar com as políticas do PSDB a favor das privatizações e contra as escolas técnicas.

Como a UBES dará publicidade a sua opinião? Será lançada alguma campanha? Teremos material próprio de campanha, com panfletos que levarão o eleitor a refletir e comparar os últimos governos, principalmente o do FHC e o presidente Lula. Nota UNE Derrotar o retrocesso neoliberal: Dilma Presidente A União Nacional dos Estudantes tem historicamente se pautado na defesa dos interesses dos estudantes brasileiros, da Educação Pública e da soberania nacional. O faz compreendendo que a autonomia política é fundamental na luta pela construção de um país justo e soberano. Contudo, nos momentos de acirramento da luta política do Brasil, não nos furtamos de tomar posição e somarmos força ao campo mais progressista das forças políticas no país. Foi assim na experiência da luta contra o nazi-facismo na década de 40, na campanha do “Petróleo é nosso” que culminou com a criação da segunda maior petrolífera do mundo, a Petrobras, na campanha das “Reformas de Base” na década de 60, na resistência contra a ditadura e na redemocratização do Brasil, no “Fora Collor” e na passeata de 16 de agosto de 2005 que segurou nas ruas a tentativa de golpe. Esse ano não é diferente. Depois de um primeiro turno em que o debate não se aprofundou de forma necessária nos projetos de Nação em disputa, nesse segundo turno temos a chance de fazê-lo e interferir ainda mais no debate. Com o cenário de polarização e o assanhamento das forças políticas mais conservadoras do país, aliadas à grande mídia, faz-se necessário o nosso posicionamento. Durante os anos de governo FHC, com Serra no Planejamento, a lógica do desmonte do Estado e as privatizações imperavam. O desafio vivido cotidianamente pela universidade pública era o de como não desmoronar. Inúmeras IFES não conseguiam custear sequer sua manutenção. A proliferação de faculdades privadas sem qualquer regulamentação que garantisse qualidade e compromisso social por parte destas foi outra marca daquele período. O atual secretário estadual de Educação de São Paulo, Paulo Renato, era o ministro da Educação do Brasil neste período em que a educação era vista pelo governo federal mais como mercadoria, de um lucrativo negócio, do que como um direito social estratégico para o desenvolvimento nacional. Essa lógica persiste com Serra no governo de São Paulo. É esse projeto que devemos derrotar. O compromisso dos estudantes brasileiros é com o aprofundamento da Democracia no nosso país e na defesa do protagonismo do Estado brasileiro, pois somente a partir destes é possível que o povo brasileiro interfira nos rumos das políticas públicas no nosso país. Ainda, reafirmamos o nosso compromisso com o investimento de 10% do PIB na educação, impedindo que o retorno de mecanismos de contingenciamento de verbas sejam novamente utilizados como a Desvinculação das Receitas da União (DRU). Nossa disposição é fazer com que o próximo período sirva para a construção de importantes Reformas Estruturantes no Brasil, que pavimente um profundo ciclo de desenvolvimento econômico com sustentabilidade ambiental, mas que também propicie o desenvolvimento humano da sociedade brasileira. Assim, no ambiente de polarização que se configura na atual quadra política, é fundamental que essa geração tome posição e derrote o setor conservador representado na candidatura de Jose Serra. A Diretoria Plena da União Nacional dos Estudantes, reunida na sede do Sindicato dos Professores de São Paulo - APEOESP - e na presença de lideranças estudantis de todo o país, decide indicar o voto em Dilma Rousseff no segundo turno das eleições para a Presidência da República Federativa do Brasil.

União Nacional dos Estudantes (UNE) 10 de outubro de 2010 Nota UBES Contra a volta da direita privatista, a UBES quer Dilma presidente A democracia brasileira, mais uma vez, se encontra numa encruzilhada histórica. Passados pouco mais de 20 anos do fim da ditadura militar, o povo brasileiro mais uma vez é chamado a decidir o destino de nossa Nação. As eleições brasileiras em 2010 estão polarizadas entre um projeto privatista, que se manteve no poder por longos anos na década de 90, representando um grande retrocesso para a democracia. Tratava-se de um governo que criminalizou os movimentos sociais, sucateou a educação pública, abrindo espaço para o crescimento de universidades sem nenhum critério de qualidade, inclusive às universidades privadas, além de proibir a construção de novas escolas técnicas e vender o patrimônio nacional por meio de privatizações claramente fraudulentas, a exemplo da venda da Vale do Rio Doce. É interessante ressaltar que essas políticas não se manifestaram apenas em âmbito federal, por onde passam os governos neoliberais e que deixam sua marca negativa. Em São Paulo, o então governador José Serra não negou suas convicções partidárias: a educação pública foi mais uma vez sucateada, tendo inclusive péssimos materiais didáticos (com erros de informações grotescos), aprovação automática, repressão a qualquer manifestação dos movimentos sociais, como no trato à grave dos professores liderada pela APEOESP que foi reprimida com violência pela polícia. Além de suas posições alinhadas ao imperialismo, como sua estreita relação com os EUA e suas políticas de subjugação da América Latina. Do outro lado se coloca uma forma de governar inaugurada com o Governo do Presidente Lula, o primeiro operário a se eleger para esse cargo no Brasil. Foi aberto o diálogo com os movimentos sociais, que foram inúmeras vezes recebidos pelo Presidente, além das mais de sessenta Conferências Temáticas realizadas nos últimos oito anos, que representaram um importante passo na democratização das decisões governamentais. No âmbito educacional respiram-se novos ares. Mais de setecentas mil pessoas ingressaram no ensino superior através do PROUNI. O REUNI representou uma importante iniciativa na reestruturação e democratização das Universidades Federais. Foram criadas 214 novas escolas técnicas nos últimos oito anos, número superior à quantidade criada em toda a história do Brasil. Para sanar o débito histórico com o com o povo brasileiro, esses números ainda são pequenos. Defendemos o investimento de 10% do PIB e 50% dos recursos do Fundo Social do pré-sal em educação, o fim do vestibular e o livre acesso à universidade, a democratização dos meios de comunicação, a auditoria na dívida pública, o passe livre, a meia-entrada, a redução da jornada de trabalho para 40h semanais, o limite da propriedade fundiária, a descriminalização do aborto e o fim das opressões. Ainda assim, compreendemos que entre os projetos e candidatos do segundo turno, somente a candidatura de Dilma Rousseff reúne as condições para avançar ainda mais na construção de um país, justo, democrático e soberano, onde os movimentos sociais possam apresentar suas demandas e disputar os rumos desse novo Brasil que está nascendo. E é por isso que a histórica União Brasileira dos Estudantes Secundaristas mais uma vez colocará os caras-pintadas nas ruas para impedir a volta da direita ao poder. União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) 10 de outubro de 2010 Projeto UNE pelo Brasil Estudantes de todo o país se reuniram entre os dias 22 e 25 de abril, no Rio de Janeiro, para o 58º Conselho Nacional de Entidades Gerais (Coneg) da UNE, um dos principais fóruns de deliberação do movimento estudantil. Tendo em vista as eleições de outubro deste ano, o objetivo do encontro foi elaborar e definir a plataforma política da entidade para o próximo período. Construída com muita unidade, a proposta final, aprovada pelos mais de 500 delegados presentes, reafirmou a autonomia da UNE diante do processo eleitoral 2010, não declarando apoio a nenhum candidato. Na ocasião, a entidade salientou ainda que os estudantes não ficariam fora do debate e lutariam para que o Brasil não retrocedesse em suas políticas. O Projeto UNE pelo Brasil, aprovado durante o 58º Coneg, pode ser baixado no site da entidade (http://bit.ly/cHqpqZ) e traça linhas estratégicas para o desenvolvimento do país na visão dos estudantes. Tais como mais educação, mais direitos à juventude, mais cultura, soberania internacional, mais democracia e direitos sociais.


»Siga no twitter: @_une @_ubes »Siga no twitter: @chagas_une @yannubes

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

O INTERUPE VOLTOU!! Contagem Regressiva

A pouco mais de um dia para a volta do INTERUPE, que acontecerá nesse final de semana de 8 a 12 de outubro Na Faculdade de Formação de Professores de Nazaré da Mata, a Universidade está em contagem regressiva para o evento, todas as unidades estão dandos os últimos retoques nas Equipes que disputarão cada modalidade, enquanto isso a Comissão de Organização aperta os Parafusos para que o evento Seja um dos mais belos e que a interação entre as unidades aconteçam na hora das modalidades que são Basquete, Handebol,Volei, Futsal, Atletismo, Natação, Xadrez, Judô e fora dela na parte cultural. O Lembrando : Os Jogos Internos da Universidade de Pernambuco - INTERUPE tem por finalidade inserir efetivamente a comunidade acadêmica como um todo em competições de caráter sócio-desportivo, desde a sistematização até a execução do evento, promovendo assim a socialização e a integração entre os participantes além de solidificar o processo de formação cidadã dos estudantes universitários que compõem a UPE. (Andrade 2010). E assim o Interupe 2010 está em todos os sites de relacionamentos, orkut's, msn's e twitter's como assunto principal. Organize-se, faça sua mala, termine seus trabalhos, avise aos seus amigos que não vai precisar de celular esse Final de semana porque?? O INTERUPE VOLTOU!!!! P.S - O que acontece no Interupe fica no Interupe. Texto por Eduardo dos Reis

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Parabéns Camaradas!!

O Brasil cumpriu no último domingo, 3 de outubro, uma etapa importantíssima da batalha político-eleitoral. No nosso Estado Eduardo Campos ganhou com uma vitória esmagadora sobre Jarbas Vasconcelos, que terá uma grande dificuldade para eleger-se novamente. Damos os Parabéns aos Camaradas Luciano Siqueira Eleito Deputado Estadual e Luciana Santos Deputada Federal. Vamos para as urnas eleger a Primeira Mulher na Presidência da República, que por manobras da Imprensa Golpista não foi efetuada no primeiro Turno. Ótima Semana para toda a Comunidade Acadêmica!