sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

INFORMATIVO
Acadêmicos, Como muitos estavam com dúvida em relação à data de volta as aulas, por meio do blog venho informar que a mesma começa a partir do dia 02 de Fevereiro apenas para os CALOUROS! Para os demais alunos da ESEF ela começará a partir do dia 04 de Fevereiro! Porém seria muito importante que todos os acadêmicos estivessem no auditório Enio Cantarelli [no PROCAPE] no dia 02 de Fevereiro às 9 horas, pois o reitor fará a abertura do ano acadêmico da Universidade. Neste evento será lançado o Programa de Fortalecimento Acadêmico da UPE! Atenciosamente, Thamires Lucena Comunicação DA / ESEF

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Fórum Social Mundial começa em busca de 'outro mundo' Evento começa na tarde desta terça-feira (27), em Belém.Além do presidente Lula, outros quatro chefes de Estado participam. Enquanto a maior parte do mundo assiste com temor aos efeitos da crise financeira internacional, os mais de 100 mil inscritos para o 9° Fórum Social Mundial (FSM) enxergam uma oportunidade. O evento reúne representantes de organizações sociais do mundo e começa na tarde desta terça-feira (27) com uma caminhada pelas ruas de Belém (PA), cidade-sede dos debates. O primeiro FSM foi realizado em 2001 na cidade de Porto Alegre (RS) e terminou com o slogan “Um outro mundo é possível”. Para os organizadores, após a “crise do sistema capitalista”, o desafio dos participantes da edição deste ano é tentar mostrar que mundo é este. Ou melhor, que mundos são estes, uma vez que a pluralidade é uma marca do Fórum. “Temos a chance e o desafio de dizer o caminho. O Fórum é uma universidade aberta, onde todas as idéias são legítimas e a própria perspectiva do evento é de promover a pluralidade. Portanto, são vários mundos possíveis”, afirma Cândido Grzybowski, diretor-geral do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase), uma das 129 entidades que organizam o Fórum. Para o diretor-geral do Ibase, a crise permitirá a “reconstrução” do modelo de desenvolvimento no mundo e o trabalho do fórum é apontar as diretrizes. “A crise abre uma possibilidade de reconstrução em cima de outras perspectivas, envolvendo a participação do cidadão e as questões ambientais”, opina. O meio-ambiente, aliás, deve ser um dos “mundos” a provocar muitos debates. O evento acontece na Amazônia, o que, para o secretário-geral da Presidência, ministro Luiz Dulci, já traz o tema para o topo das prioridades do Fórum. “A Amazônia não é só brasileira. A questão amazônica certamente entrará na pauta do Fórum. O presidente Lula deverá incluir esta questão em seu discurso e falar sobre o esforço ambiental do governo. O desafio da Amazônia pode e deve ser discutido, porque isto é uma questão de grande interesse”, afirma Dulci. Apesar de ter um caráter não-governamental, o FSM terá a presença de 12 ministros e do próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O governo federal nega que haja qualquer intenção de “influenciar” o fórum e destaca que a presença dos ministros se dá devido a convite das entidades. Além do presidente Lula, outros quatro chefes de Estado têm presença garantida no evento. Evo Morales (Bolívia), Hugo Chavez (Venezuela), Rafael Correa (Equador) e Fernando Lugo (Paraguai) participarão, junto com Lula, de um debate na quinta-feira (29) sobre a “América Latina e a crise financeira internacional”. Segundo a organização, o Fórum já recebeu mais de 100 mil inscrições e outras pessoas poderão ainda participar do evento. São 5.860 organizacões participantes de mais de 150 países. A pluralidade e a descentralização do FSM ficam explicitas no número de atividades: 2.400. As ações acontecem em dois territórios e 18 tendas temáticas dentro das Universidade Federais Rural do Pará (UFRA) e do Pará (UFPA). Somam-se a estas atividades outras 200 ações culturais que serão promovidas por participantes do Fórum na cidade de Belém. Tudo isto até o dia 1° de fevereiro, data de encerramento do encontro. Para abrigar o evento, a cidade de Belém recebeu cerca de R$ 330 milhões em investimentos públicos, R$ 77,5 milhões deles da União. Segundo o ministro Luiz Dulci, os gastos se concentraram nas áreas de segurança pública, saúde, turismo e educação, uma vez que o evento acontece em universidades públicas. FONTE: G1

sábado, 24 de janeiro de 2009

C O N V O C A Ç Ã O Convocamos V.S.ª para a reunião do Diretório Acadêmico da Escola Superior de Educação Física de Pernambuco, a ser realizada no dia 26 de Janeiro de 2009, segunda-feira, de 12h00min, tendo como pauta: 1. Aprovação de Atas. 2. Semana dos Calouros. 3. Logomarca DA / ESEF. 4. CONSUN. 5. Jornal do DA. 6. DCE. 7. Repasse COREEF, CONEB / BIENAL. 8. Programa de Fortalecimento Acadêmico da UPE Atenciosamente, Thamires Lucena Direção do Departamento de Comunicação DA / ESEF

domingo, 4 de janeiro de 2009

XII CONEB e VI BIENAL da UNE
Venha participar da BIENAL e do CONEB da UNE! Os dois eventos aconteceram em salvador / Bahia!
O Conselho Nacional de Entidades Gerais da UNE, o CONEB, que acontece entre os dias 17 a 20 de janeiro. Já a 6ª BIENAL de cultura da UNE acontecerá entre os dias 20 a 25 de Janeiro.
Custos:
CONEB: 60,00 R$ (inclui alimentação e alojamento)
BIENAL: 25,00R$ (inclui alojamento)
CONEB + BIENAL: 85,00R$ (incluindo alojamento para dois eventos. Já a alimentação é só para o CONEB)
OBS.: Transporte a confirmar!Pra maiores informações, Falar com Vinícius Barbosa!
Opinião
Espaço para que os acadêmicos, do curso de Educação Física da ESEF, que queiram postar sua opinião sobre os mais diversificados temas.
Para que seu texto seja publicado envie um e-mail para da.esef@hotmail.com!
C O N V O C A Ç Ã O Convocamos V.S.ª para a reunião do Diretório Acadêmico da Escola Superior de Educação Física de Pernambuco, a ser realizada no dia 07 de Janeiro de 2009, quarta-feira, de 13h00min, tendo como pauta: 1. Reforma Universitária - CONEB. Atenciosamente, Thamires Lucena Direção do Departamento de Comunicação DA / ESEF

sábado, 3 de janeiro de 2009

Representação Discente

CONTATO

E-mail:
(81) 3183 - 3364
Endereço:
Rua Arnóbio Marques, nº 310 - Santo Amaro - Recife - PE. CEP: 50.100-130. Campus Universitário HUOC
Perfil no Orkut:
Conselho de Entidades de Base (C.E.B.) e Eleições DCE – UPE 2008/2009:
Espaço de discussões políticas ou clubinho de amigos?
Estudantes da UPE, nós do diretório acadêmico da ESEF, resolvemos construir uma carta aberta buscando explicar a situação atual do processo eleitoral para a gestão 2008/2009 do Diretório Central dos Estudantes da Universidade de Pernambuco.
Pois bem, primeiramente agradecemos a participação em massa de vocês da nossa Unidade nesse que foi, até onde temos conhecimento, o processo eleitoral mais conturbado de todos, não por nossa Unidade, mas sim, por parte daqueles que conduziram como um todo o processo, obrigado! Certamente o resultado final teve uma forte influência de todos vocês que se dispuseram a sair das suas salas e irem às urnas expor sua opinião, pois, entenderam que uma mudança dentro do movimento estudantil da UPE era necessária.
Após um conturbado processo de votação e, um ainda mais conturbado, processo de apuração dos votos, a Chapa 03 “Pra sair dessa maré” saiu-se vencedora das eleições, uma vez que, obteve o maior número de votos válidos. Foi aí que começaram de fato todos os problemas que se estendem até hoje no que diz respeito à legitimação da vitória e da posse da Chapa vencedora. Com o resultado proclamado pela comissão eleitoral, os integrantes de uma das chapas perdedoras, visivelmente abalados pela derrota nas urnas, iniciaram um processo de disseminação de falsas informações buscando com isso invalidar o processo eleitoral e chamar novas eleições. Nós do D.A. ESEF – UPE entendemos que isso nada mais é do que apelação contra a democracia e que o argumento utilizado pela chapa reclamante, de que ‘o processo não é válido porque muitos votos não foram computados’ carece de consistência, pois, um processo que tem urnas em TODO o campus da UPE, certamente possui representatividade e que os votos não computados assim o foram por não atenderem aos requisitos estabelecidos pela comissão eleitoral para que suas apurações fossem válidas.
Utilizando-se da posição de administração do D.C.E. – UPE, os membros que integram o grupo reclamante, convocaram um C.E.B. às pressas para que fosse realizada uma votação a fim de anular o processo eleitoral realizado, ignorando assim os votos das unidades que tiveram responsabilidade e compromisso para garantir que o mesmo transcorresse sem irregularidades.
Nós, do DA ESEF, entendendo que no processo democrático existe o respeito às normas defendidas
Seguindo a linha de raciocínio aqui apresentada torna-se totalmente cabível o questionamento proposto no título desse texto e, deixamos aqui mais alguns para que os estudantes possam tentar responder: Porquê, no processo de votação dos conselhos internos do DCE-UPE,não foi respeitado o voto dos estudantes e sim de um grupo restrito de lideranças que não seguem estatutos e regimentos da entidade? Onde estão as atas do X CONEUPE, que sumiram próximo ao processo eleitoral e que dava votos aos CAS e DAS no CEB? Sempre que, quem detiver o poder sair prejudicado de algum processo de discussão poderá lançar mão desse tipo de atitude para reverter a seu favor a decisão? Até onde os interesses pessoais daqueles que estão à frente de uma instituição, que só existe devido ao coletivo de estudantes da UPE que ela representa, deve sobrepor-se aos interesses do pleito estudantil? Será que nós, estudantes universitários, que somos tidos como ‘a elite do pensamento da nação brasileira’, ficaremos de braços cruzados diante de uma atitude arbitrária como essa?
Diante de tais fatos o DA ESEF defenderá sempre a DEMOCRACIA, por isso votamos únicos pela convocação DA assembléia geral dos estudantes, respeitando o que existe nos estatutos do DCE-UPE. Cientes de nossas responsabilidades, que fomos eleitos pelos estudantes, ainda assim acreditamos que eles devem expressar suas idéias sobre os temas mais relevantes da Universidade e não podemos DESRESPEITAR os estatutos que eles definiram. Assim, seguimos na luta pela democracia na Universidade, começando por nós mesmos, sempre ouvindo o estudante.
O D.A. ESEF – UPE, através dessa carta busca provocar os estudantes a refletirem um pouco mais sobre as pessoas que lhes representam a fim de esclarecê-los que ‘ser estudante universitário não é apenas lutar para receber um diploma ao final do curso mas sim, ser um cidadão crítico e atuante na sua sociedade ainda no período de graduação’.